Guimarães, a cidade berço de Portugal

Leave a comment Standard

Desta vez a minha viagem levou-me à cidade considerada o berço de Portugal, visto ter sido nesta cidade que o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, nasceu. Além disso, em 1128 deu-se uma importante batalha, a Batalha de S. Mamede, que opôs D. Afonso Henriques à sua mãe e os apoiantes desta vindos da Galiza, tendo terminado com a vitória de D. Afonso Henriques. Na sequência desta vitória, em 1143 Portugal tornou-se um país com identidade própria. Guimarães foi a primeira capital do país.

São várias as razões pelas quais lhe poderia recomendar a visita a esta cidade nortenha tão bem preservada: a importância histórica desta cidade, o centro histórico medieval considerado património mundial da UNESCO, as charmosas casas magnificamente restauradas, as estreitas ruas pavimentadas com pedra, a excelente gastronomia e acima de tudo as pessoas que tão bem sabem receber quem por lá passa.

Feita a introdução vamos dar então início à nossa viagem.

  1. Castelo de Guimarães

DSC_0140

O castelo original foi construído no século X quando a Condessa Mumadona Dias decidiu mandar construir uma fortaleza para proteger os monges e a comunidade Cristã dos ataques dos Mouros e dos Normandos; no entanto, foi durante o século XII que o castelo se desenvolveu mais, quando os pais de D. Afonso Henriques vieram viver para Guimarães.

Ao visitor o castelo irá aprender mais sobre as transformações que o castelo sofreu ao longo dos tempos e aprenderá mais sobre a história desta grande nação, Portugal.

Do castelo tem vistas privilegiadas para a montanha da Penha e a área envolvente, particularmente para o Palácio dos Duques de Bragança.

Se optar, como eu, por comprar o bilhete combinado do castelo e do Paço ducal o preço será de 6,00€. O castelo e o palácio dos Duques encontra-se aberto das 10 da manhã às 6 da tarde (no entanto a última admissão é às 5.30h). Ambos encerram no dia de Natal e de Ano Novo, domingo de Páscoa e dia do trabalhador (1 de Maio).

 

2) Paço dos Duques de Bragança

DSC_0896

Construído no século XV este majestoso palácio é único na Península Ibérica. Foi a casa de D. Afonso, Duque de Bragança, o filho ilegítimo de D. João I, e da sua segunda esposa D. Constança de Noronha. O palácio, classificado como monumento nacional dispõe de três pisos: o r/c destinado a atividades culturais, o primeiro andar transformado em Museu onde se destacam a coleção de magníficas tapeçarias que retratam eventos ocorridos no tempo dos Descobrimentos Portugueses e uma coleção de peças de mobília do período pós Descobrimentos e o segundo andar com uma ala reservada ao Presidente da República e seus convidados.

O foco desta visita é o Museu. A sala de banquetes é simplesmente surpreendente com o seu teto em forma de barco invertido, uma enorme mesa com uma belíssima tapeçaria na parede, que descreve a tomada de Tânger pelos portugueses. Pode ainda visitar os aposentos do Duque de Bragança e de Catarina de Bragança. É ainda de realçar a bonita capela com destaque para os lindos vitrais, os balcões, a balaustrada, o coro e o local onde se sentam os fiéis, tudo em madeira de castanho.

Sabia que foi Catarina de Bragança, princesa de Portugal e rainha de Inglaterra (visto ter-se casado com Charles II de Inglaterra) que levou para este país o hábito de se beber chá e que os ensinou a usar o garfo para se comer?

Passe algum tempo no exterior a admirar este magnífico palácio e em particular as várias chaminés que o tornam tão peculiar.

 

3) Igreja do Carmo

DSC_0958

Uma bonita igreja em estilo barroco do século XVII está localizada junto ao antigo convento das Carmelitas, hoje um lar de 3ª idade. A igreja tem um altar muito bonito em talha dourada e por 1€ pode aceder ao Coro Alto e admirar os frescos (originais), os bancos do coro destinados às Carmelitas e o primeiro órgão recebido pela cidade.

 

4) Teleférico de Guimarães

DSC_0029

Foi a primeira vez que apanhei o teleférico para ir até à Penha onde se encontra localizado, a uma altitude de cerca de 620 metros, o santuário com o mesmo nome. O Teleférico vai subindo gradualmente a distância de 1700 metros que separa a cidade de Guimarães da montanha. Veja o pequeno vídeo que fiz.

Mal sai do teleférico irá sentir-se completamente embrenhado na natureza. Explore a vegetação e os enormes pedregulhos que parecem pôr à prova as leis da gravidade!

No cimo da montanha encontra-se o Santuário da Penha.

Tire algum tempo para apreciar as vistas da cidade de Guimarães; inspire o ar da montanha e sinta o silêncio e a paz que o rodeiam.

O teleférico tem um custo de 5€ (viagem de ida e volta). Há dois horários de funcionamento, no verão (de Abril a Outubro) encontra-se aberto das 10 da manhã às 6.30 da tarde (em Junho e Julho encerra às 19h de segunda a sexta e às 20h aos fins de semana; em Agosto funciona das 10h às 20h); durante o Inverno (Novembro a Março) está apenas aberto sextas e fins de semana das 10h às 17.30h.

 

5) Centro histórico de Guimarães (Património Mundial da UNESCO desde 2001)

Esta cidade tem um centro histórico lindo e muito bem preservado. Aqui encontra-se o Padrão do Salado, um monumento gótico único com 4 arcos, construído no século XIV para celebrar a vitória na batalha com o mesmo nome.

DSC_0977

Aproveite para visitor a bonita Igreja de Nossa Senhora da Oliveira do século X também construída num estilo gótico.

DSC_0988

Tome um café na bonita Praça de Santiago; tome o seu tempo, não se apresse e aprecie os requintados monumentos, as pessoas ao seu redor e imagine como teria sido viver aqui durante o século XII.

DSC_0982

Já vos dei conta em artigos anteriores que não consigo resistir a um café e às especialidades que cada região de Portugal oferece. Também já vos tinha avisado que se vier a Portugal vai acabar com uns quilinhos extra uma vez que é impossível resistir à magnífica gastronomia e doçaria! Aí fui eu até à Confeitaria Clarinha para experimentar algumas das especialidade vimaranenses: tortas de Guimarães, douradinhas e toucinho do céu (a lista não fica por aqui, culpem as freiras pois elas são as responsáveis por muitas destas deliciosas tentações).

Espero ter incluído Guimarães na sua lista de viagens!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply